domingo, 11 de abril de 2010

Sobre Tamanduás mirins, alegrias e tristezas

Ontem à noite, saindo da casa de uma amiga, percebemos (meu marido e eu) um vulto escuro na rua. Já era tarde e nas proximidades da casa há muito mato e terrenos vazios (ainda), além de ter pouco movimento de carros, motos e bicicletas. É comum vermos corujas buraqueiras no meio da avenida, sempre que voltamos para nossa casa. Ao observar aquele vulto, automaticamente reduzimos a velocidade do carro, eu imaginei que era um cachorro pequeno que perambulava por ali. O carro à nossa frente, também de um amigo, também havia reduzido a velocidade e, chamou-me a atenção, parou brevemente. Ao nos aproximarmos, entendemos o motivo! Era um tamanduá mirim (Tamandua tetradactyla)!

Ficamos alguns longos segundos observando aquele lindo animal caminhando desajeitadamente pelo asfalto. Eu, particularmente, não acreditei muito no que via, e perguntei “é isso mesmo? é um tamanduá?”. Eu nunca tinha visto um, nem em Jardins Zoológicos. Eu imaginava que era um pouco maior, não sei se era adulto ou meio filhotão ainda. Mas era lindo, isso posso afirmar.

No primeiro momento, uma alegria súbita por encarar um animal tão lindo, por saber que ele “ainda existe” e tão perto de nós. Depois da euforia, já retomando o caminho de casa fomos nos dando conta que, na verdade, ver um tamanduá mirim, no meio da rua não é bom… Primeiro por ter uma grande chance dele sofrer algum acidente (e causar um, claro) de carro. Por outro lado, aqui na cidade há muitos cães soltos, ele é, assim, uma presa razoavelmente fácil. Por fim, se ele está na rua, passeando, entre outros motivos, pode ser por não haver mais espaço, alimento, enfim, condições de sustentá-lo onde ele estava antes (nas matas ao redor da cidade).

De qualquer modo, parece-me trágico o destino do nosso estimado tamanduá mirim. Embora ainda eufórica por ter, finalmente, me deparado com este simpático animal – era um dos grandes anseios desde que vim morar para os lados do Cerrado – não posso deixar de pensar que isto, ao mesmo tempo, não é um bom sinal…

P.S.: a foto é de autoria de Luiz Renato Blumlein Vieira, e pode ser encontrada neste link

2 comentários:

dioneskrinski disse...

É impressionando o que tem acontecido com os animais silvestres, devido ao desmatamento e diminuição de seus habitats.
Ana... vcs ainda tiveram a sorte de ver um tamanduá vivo (mesmo que seja certo o que irá acontecer com ele em breve). Infelizmente, eu tenho visto muitos animais, não só tamandua mirin, mas já vi muitos bandeira mortos por atropelamento nas estradas de MT.
Tudo devido ao desmatamento desordenado e ao mal planejamento das nossas estradas, que não leva em consideração passagems para os animais geral.
Isso é revoltante.

Airthon disse...

Está noite eu encontrei um tambem,
eu fiquei tipo, assim tamanduá "BANDEIRA" Ta muito novo mas quando eu cheguei em casa eu pesquisei na internet e descrobir que era uma tamanduá mirim muito lindo e fofo , ai na mmanhã seguinte resolvemos leva-lo para o ibama pois onde eu moro tem muita gente má.
e lá no ibama eles vão dar um rumo a ele.